Arquivo mensais:novembro 2015

COMO CALCULA 13º. SALARIO DOMESTICA E-SOCIAL

Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/11/1708222-site-para-pagamento-de-tributos-de-domestico-vai-mudar-de-novo.shtml ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.

Horas extras,adicional noturno e gratificações entram no benefício. Trabalhadores com menos de um ano de serviço também têm direito a receber proporcional.

O mês de dezembro está chegando e com ele a obrigação de pagar o 13º salário da empregada doméstica, mas muitos empregadores não sabem como fazer o cálculo. O valor do 13º salário varia de acordo com o momento da admissão do empregado e mesmo quem ainda não tem um ano completo trabalhando na mesma casa tem direito.
O cálculo exige atenção já que horas extras, adicional noturno e gratificações entram no valor do 13º. Quem não quiser se preocupar pode contar com os serviços da Doméstica Legal.

Empregados que foram admitidos até 15 de janeiro de 2015

Para quem admitiu um empregado doméstico em qualquer momento de 2014, ou até o dia 15 de janeiro de 2015 deverá pagar o décimo terceiro salário com valor igual ao do salário mensal do empregado.

Empregados que foram admitidos depois do dia 15 de janeiro de 2015

Os empregados contratados após o dia 15 de janeiro, ou ao decorrer do ano de 2015 têm direito de receber o 13º proporcional. O cálculo do valor é feito dividindo o salário mensal do empregado por 12 (quantidade de meses no ano), o resultado desta conta é igual ao 13º proporcional a um mês trabalhado. Quando a pessoa trabalhar a partir de 15 dias em um mês já tem direito ao 13º como se tivesse trabalhado aquele período aquisitivo inteiro.

Caso necessite consultoria gratuita sobre e social da domestica ligue para a Tavares Contabilidade.

(71) 3022-2427 3492-1478 3261-3464 – Rosí Sales

e-mail: rosisales.contabil@gmail.com

 

Extraído: Parte folha UOL e domesticalegalnoticias

 

Desafios do E-social domestico

 

Empregador doméstico não consegue gerar boleto para recolher tributo

A quatro dias do fim do prazo, o pagamento do primeiro mês de impostos para os empregados domésticos pelo sistema oficial do governo não está fácil. Centenas de mensagens deixadas por empregadores nas páginas em redes sociais do sistema E-Social, do governo, dão conta de um problema: após o cadastro, os empregadores simplesmente não conseguem gerar o boleto para o recolhimento dos tributos, como FGTS e INSS.

O engenheiro civil Valdemar Salamondac, de São Paulo, é um deles. Depois de realizar o cadastro no sistema, na sexta-feira, 30, ele tentou ao menos 6 vezes, em diversos horários nos últimos três dias, gerar o boleto, mas não conseguiu. “Uma senha foi criada no cadastro, mas na hora de gerar o boleto, essa mesma senha não funciona. O site não reconhece. Em apenas uma das tentativas consegui avançar com a senha do cadastro, mas em seguida o serviço travou. É impossível”, disse ele.

Os empregadores correm contra o tempo para evitar a cobrança de multa. O boleto precisa ser gerado e pago até sexta-feira, para que a situação fiscal do trabalhador doméstico fique regular. Caso isso não ocorra, o empregador sofrerá uma multa de 0,33% por dia de atraso, até o limite de 20% dos tributos devidos. Há uma alíquota de 8% do FGTS e outros 3,2% do salário de seu empregado para cobrir a penalização de 40% sobre o saldo do FGTS a ser paga em caso de demissão sem justa causa. Ao INSS, a alíquota é de 8% e há ainda 0,8% de tributo para cobrir o seguro por acidente de trabalho.

“Vou tentar até sexta-feira, mas se não conseguir gerar o boleto, vou pensar em alternativas, como redução da jornada de minha empregada ou alguma outra coisa. É difícil você querer pagar o tributo, preencher o cadastro e simplesmente não conseguir terminar o processo”, afirmou o engenheiro civil.

A Receita Federal, responsável pelo E-Social, reconheceu em nota que houve problemas técnicos no sistema ao longo do sábado, mas, segundo a Receita, todos os problemas foram solucionados na noite do mesmo dia. Em contato com o Estadão, a assessoria do Fisco informou que as dificuldades enfrentadas pelos empregadores desde o domingo são relacionadas à conexão com os servidores de internet, e não mais com o sistema do governo. Os relatos de empregadores com dificuldades para gerar o boleto, chamado de Guia de Arrecadação do E-Social, continuaram nas redes sociais até a noite de ontem, no entanto. O engenheiro Salamondac fez tentativas na tarde de hoje e também não conseguiu.

Segundo a Receita, até a manhã de sábado eram pouco mais de 1 milhão de empregadores cadastrados no sistema oficial. A expectativa do governo é que o universo total atingirá 1,2 milhão de empregadores. São esses que precisam, até sexta-feira, gerar o boleto para pagamento dos tributos.

Extraido do Jornal de diario de Pernambuco